EVERY BODY ELECTRIC - Doris Uhlich (Áustria)

Pessoas com deficiências físicas exploram as possibilidades de suas disformidades em Every Body Electric (Corpos Elétricos), espetáculo da coreógrafa austríaca Doris Uhlich. Os bailarinos pesquisam seus próprios fluxos, batidas e dinâmicas, transformando seus corpos numa espécie de combustível endógeno.

Uhlich trabalha com o conceito de ícones energéticos, no qual movimentos individuais são guiados pelo prazer e pela busca de recursos de energia. A coreografia é criada por movimentos repetitivos que carregam energeticamente o corpo durante cada sequência. “Uma carne em movimento é bela quando me sinto atraída pela energia, sensibilidade, empatia e vitalidade de um corpo, não importa como ele seja”, diz a artista, que se interessa pelas relações entre energia e forma e entre seres humanos e máquina.

A performance também investiga as possibilidades que se abrem quando máquinas, como cadeiras de rodas e muletas, são consideradas extensões do corpo. “Todo corpo tem limites e, se você não tem medo de tocá-los e enfrentá-los, eles podem ser lugares inspiradores para expandir o horizonte de movimento”, afirma. Cada “corpo elétrico” é um convite simples, mas radical, para explorar os potenciais através da dança e mergulhar numa arqueologia de energia. O poder explosivo e a poesia de Every Body Electric (Corpos Elétricos), repousam em como os performers percebem seus corpos e como eles são percebidos.


Coreografia: Doris Uhlich
Dramaturgia: Elisabeth Schack
Criação e performance: Erwin Aljukic, Yanel Barbeito, Adil Embaby, Sandra Mader, Karin Ofenbeck, Thomas Richter, Vera Rosner, Danijel Sesar e Katharina Zabransky
Iluminação: Gerald Pappenberger
Som: Boris Kopeinig
Figurinos e produção: Christine Sbaschnigg
Assistente de produção: Annamaria Waliczky

 

Trabalho realizado na Bienal de Dança SESC 2019