RONALDO SERRUYA 

ESPETÁCULOS EM CIRCULAÇÃO

A Doença do Outro 

Clique na foto para maiores informações 

Dramaturgo e ator do Grupo XIX de Teatro desde 2004, criando e atuando em peças como Hygiene, Arrufos, Marcha para Zenturo e Teorema 21, entre outras Em 2009, fundou o Teatro Kunyn (SP), para discutir a questão queer nas artes cênicas, onde atuou e escreveu a dramaturgia dos espetáculos Dizer e não pedir segredo, Orgia ou de como os corpos podem substituir as ideias (indicado ao APCA de melhor peça de 2016) e Desmesura (Premio Suzy Capó de obra mais transgrerssora no 25O Festival MIX da Diversidade).
Em 2017 iniciou  uma pesquisa sobre lugares de fala e representatividade que gerou o espetáculo Plantar cavalos para colher sementes (que cumpriu temporada no SESC Consolação), e a oficina Falo por minha diferença .
Desde 2016 pesquisa e estuda as relações entre arte e HIV/ AIDS, onde criou e idealizou o projeto “Como eliminar monstros: discursos artísticos sobre HIV/AIDS" que já contou com o apoio institucional do Itaú Cultural e do Goethe Institut, entre outros.
Em seus estudos dramatúrgicos sobre a dissidência idealizou e desenvolveu a Pesquisa Escritas Dissidentes: dramaturgias da travessia, que já virou oficina e curso ministrado pelo SESC e Instituto Artium de Cultura
Foi indicado como melhor autor ao prêmio São Paulo de Incentivo ao Teatro Infantil e jovem pela dramaturgia da peça Hoje o escuro vai atrasar para que possamos conversar.
Atualmente prepara a estreia  do seu texto A doença do outro, ganhador do 7º edital de Dramaturgia em pequenos formatos do CCSP (SP)